Quem Somos

Dizem que é nos momentos de crise que nascem as grandes ideias. Fato. A gente é forçado a sair da nossa zona de conforto e se aventurar em novas frentes. E foi durante a pandemia do coronavírus em março de 2020, que resolvemos dar vida à ideia de ter um canal de vendas online. 

Mas antes de seguir com essa história, deixa eu me apresentar. Meu nome é Regina (@regina.sugayama) e, juntamente com dois sócios (@davi77luiz e @joenilmaleite), produzo geleias (@deli.chat) desde 2017. Hoje, a gente tem 22 sabores de geleias e vende em nove estados e cerca de 50 cidades. E, como sou chocólatra, começamos a produzir recentemente, brigadeiros de colher, contando com a ajuda do Rohit (@hit_ro_hit) no desenvolvimento de sabores e na criação de uma nova marca, a @makeeto.br. 

Tudo estava indo muito bem, empórios em vários estados entrando em contato com a vontade de vender nosso produto quando o comércio se retraiu para evitar o contágio por esse novo vírus. Bem, já estava nos nossos planos ter um canal de comércio online e o distanciamento social foi o silêncio que a gente precisava para tirar isso do papel. 

Foi um exercício interessante produzir as fotos, os textos, mergulhar no sistema para conhecer os recursos. Mas, quando estava tudo pronto, surgiu uma ideia - disponibilizar espaço para que empresas parceiras também pudessem comercializar seus produtos. Afinal, para o consumidor, isso representa a conveniência de escolher produtos de várias marcas em um único site. E, além disso, a gente conhece tanta gente bacana, batalhadora, que rala pesado para fazer seu procuto e sua marca acontecerem. 

Comecei a falar com os amigos mais próximos e, naturalmente, eles estavam na mesma situação que a Deli Chat: vendas caindo e uma necessidade de ter uma presença digital mais forte. Naturalmente, as primeiras que convidei foram a Aysla (@ayslladefumaria.br) e a Joelma (@eventodamadanoite), amigas de feiras e companheiras em outros projetos. A Ayslla tem uma defumaria e produz à moda antiga, ou seja, queimando a lenha lentamente para que esta libere substâncias aromáticas que transformam o alimento. Tem gente que fala que ela é alquimista, porque todos os ingredientes que ela toca se transformam em ouro. Já a família da Joelma é dona de um dos alambiques mais antigos do Brasil, e produz a Cachaça Dama da Noite. Foi a Joelma que me incentivou a provar as geleias como ingredientes de drinks. 

Logo em seguida, se juntaram a nós o Bruno da Gaia (@gaiaselecionados) e o Celso, do Café Flô (@cafefloheliodora), também duas pessoas de muita luz que a gente teve o prazer de conhecer em feiras. O Bruno é um pequeno agricultor e produz molhos e antepastos deliciosos no interior de Minas. O Celso é especialista em café e, em sua fazenda no sul de Minas, esmera-se para entregar cafés especiais. Ele está, inclusive, em processo de obter a certificação de Orgânico. E, assim, mais dois amigos se tornaram parceiros de negócio.

Buscando ampliar a diversidade de produtos que representem o estado de Minas, entrou na parceria a Olivas da Mantiqueira (@olivas_da_mantiqueira), dos queridíssimos amigos Juliana e Saulo, para os quais tive o prazer de trabalhar enquanto estava no Sistema Fiemg. Eles são pioneiros na produção de azeite de oliva na região de Barbacena e empreendedores entusiastas.

Esse foi o grupo que, em conjunto, criou a marca Janelas de Minas e nada poderia ser mais apropriado para o momento histórico que estamos vivendo. Afinal, como define Ana Maria Diniz, "janelas de oportunidade são períodos raros, em que várias condições convergem numa combinação incomum, criando ambientes perfeitos para grandes transformações. Com começo e fim bem definidos, esses portais podem levar pessoas e países a novas e promissoras dimensões se acionados na hora certa e do jeito certo". Esta crise vai passar. Quanto tempo vai demorar, a gente não sabe... mas com certeza, sairemos dela transformados e fortalecidos, enquanto empresários e pessoas. Com certeza, também, não ficaremos sentados à janela olhando o tempo passar. Muito diferente disso, estamos abrindo as janelas da casa para que novas ideias entrem, renovando nossas energias para trabalhar naquilo que acreditamos.

Uma estratégia para ampliar a diversidade de produtos foi convidar empórios para venderem online. Afinal, assim como nós - produtores - os empórios de produtos especiais estão sofrendo (e muito) com as restrições causadas pela pandemia. Foi assim que a Lay, do Empório Bella Corte do Mercado Central de BH (@bellacorte2011) entrou na história. A Bella Corte foi um dos primeiros empórios a acreditarem no nosso produto, lá em 2017. A gente entende que, à medida que a Bella Corte ganhar vendendo produtos no nosso site, ela estará beneficiando dezenas de pequenos produtores.

Mas o que este site tem de diferente? Olhando a interface, ele parece um site de comércio online como qualquer outro - você entra, escolhe, paga e recebe os produtos. Mas por baixo dessa interface, existe um mecanismo que garante a distribuição de cada centavo que você gasta entre produtores, lojistas e influenciadores. Sim, influenciadores. Pessoas que não produzem nem vendem alimentos, mas que conhecem outras pessoas que amam comida. E que, assim como nós, estão indo à luta para compensar as perdas sofridas em função da pandemia. 

Hoje, somos 7 produtores, uma loja e 28 influenciadores, mas a ideia é agregar mais gente para que esta rede de economia colaborativa se consolide e traga benefícios para todos os envolvidos. Muito agradecidos por sua visita e por fazer parte da nossa rede. 

Sejam bem vindos à nossa casa!

Bem vindos!